Posts antigos >
*

Um blog ainda sem nome, mas de cara nova

Não sei se alguém notou, mas o blog esteve em manutenção por alguns dias. Foi por uma causa nobre, e espero que tenham notado o novo design 🙂

Desta vez resolvi ser uma designer decente. Já estava mais do que na hora de criar aqui pro blog um layout bonitinho (com minha cara minimalista, ~a louca das linhas~) e que tivesse um pouco do meu trabalho como designer e front-end developer – haha. Aproveitei meus conhecimentos e misturei um pouco com a curiosidade sobre websites responsivos e apliquei aqui, no meu pedacinho da web.

O design responsivo está rapidamente se tornando um webstandard (sim, um padrão da web). Talvez você não saiba do que eu estou falando ou não tenha ideia da importância dos sites desenvolvidos dentro de um framework flexível. Explico.

Com o boom dos tablets e dispositivos móveis, já não é mais possível pensar em construir páginas da web pensando apenas na resolução padrão dos monitores de notebooks e desktops. A web agora é móvel. Ou vai dizer que você nunca acessou seu email pelo celular? Pelo menos o facebook? Bem, eu tenho mania de testar todos os sites que desenvolvo nos dispositivos móveis que estão ao meu alcance, e nesse balaio entram o iPhone, iPad (dos outros, pois ainda sou pobrinha) e o Android de algum amigo. E vamos concordar que não tem sensação pior que entrar numa página pelo celular e visualizar aquele horror de informações suprimidas num espaço de, geralmente, 320×480 pixels. E haja zoom pra conseguir ler aquelas letrinhas, visualizar as imagens, e principalmente, paciência pra clicar nos links. Claustrofobia define.

Pensando nisso, resolvi fazer na nova versão deste blog, e claro, do meu portfolio, de modo amigável. Isso quer dizer que, não importa de onde você esteja acessando (desktop, notebook, tablet ou smartphone), este website vai se adaptar à sua resolução de tela e mostrará o conteúdo de uma forma muito linda. Isso sem precisar de plugins para criar versão mobile ou um tema específico para quando o blog é acessado através de celular. Duvida? Então diminui aí o tamanho da janela do seu navegador, aquele bom e velho resize. Viu? Acho massa 🙂

A quem interessar possa, deixo aqui alguns links de referência sobre o assunto.

Olha, acho essa internet uma coisa maravilhosa.

*

Por aí: blog Marco Zero

Meu portfolio foi destaque no Marco Zero – blog colaborativo sobre design duma galera bacana aqui de Recife. E como eu sou uma pessoa muito atenta ao que acontece no mundo lá fora, demorei uma semana pra descobrir.

Pra sentir um poquinho de orgulho de mim, cola na minha que é sucesso: Portfolio #6 – Rayana Verissimo 🙂

*

Seis projetos de design: Um desafio à criatividade

O drama é o seguinte: entrei em crise.

Eu li em algum lugar na internet que esse negócio de crise criativa não existe e blá blá blá, mas olha, te contar que eu sou a própria crise criativa. Flesh and bones. Até já escrevi isso por aqui no início do ano passado, quando eu mudei de emprego e só faltei morrer de desespero, trancada no banheiro, por não conseguir dar uma solução criativa pros meus jobs. Repito: só faltei morrer. Eu trabalho com ~criação~ e portanto não admito ser uma pessoa ~não criativa~. Só faltei morrer.

O que eu percebi é que eu sinto essa tremenda falta de inspiração, de ideias, de movimento, de qualquer-coisa-pelo-amor-de-deus! Mas continuo sentada com minha bunda na frente do computador (todo o tempo em que estou acordada, passo na frente do computador), abrindo e fechando abas. E desde quando é assim que se aprende a criar?

A falta que sinto é de pegar em papel, rabiscar, trocar ideias, sentir que estou criando alguma coisa, forçar a cabeça. Sair de casa, tirar fotos de coisas legais, ter ideias despretensiosas. Ter tempo pra pensar. Ficar feliz com meus resultados.

Abrir o photoshop não é criar. É difícil explicar isso pras pessoas que pagam pelo que eu faço. Já tive, e muito, que ouvir gente falando que “poxa vida, teu trabalho é muito fácil”. Ou ainda um “tu é muito rápida, vai pensar numa solução boa rapidinho. Confio na sua criatividade“. Sério? Confia mesmo?

Então. Resumindo a ópera, eu vou começar a me dedicar a um projeto bem bacana que adaptei de um teste de aceitação duma universidade da Nova Zelândia. A ideia é completar seis projetos de design em seis semanas e postar tudo aqui no blog, usando o máximo de referências offline possíveis. Um empurrãozinho pra começar atividades extras, além daquelas que pagam as faturas dos meus cartões de crédito, e ainda um exercício pra minha tão sofrida criatividade.

Os seis projetos são:

Project 1: Poster Brief
Project 2: Colour Work
Project 3: Diagrammatic Piece
Project 4: Typographical Piece
Project 5: Image Essay
Project 6: Logo/ldentity Piece

A cada semana vou explicando um pouco sobre o projeto e dizendo o conceito de tudo, como cheguei àquela solução e tal. Vale ressaltar que não pretendo fazer uma coisa linear, que dure seis semanas seguidas. Sei que em determinado momento não vou ter tempo pra me dedicar aos projetos mas a intenção é terminar tudo o quanto antes e expor o resultados pra mim e pro mundo 🙂

Me desejem sorte.

Imagem de Kerina West.

*

Categorias