Posts antigos >
*

Diálogos de hospital

– Olhe minha filha, antes de você pegar em mim eu vou ali lavar minha mão com álcool, porque eu to cheia de batistérias.
– cheia de quê, vó?
batistérias.
– ah.

– Tem uma senhora internada ali que tem 101 anos. Já pensou? Essa aí viveu uma década mesmo!

(post de 14 de Jul 2009)

*

Multiuso

– Então, uma vez tava tendo uma palestra sobre produtos milagrosos no prédio da minha avó, todas as mulheres reunidas lá pra ouvir sobre as maravilhas que os cremes podiam fazer na sua pele e bla bla bla. Aí apresentaram um batom que ajuda a prevenir o ressecamento dos lábios e que também pode ser usado como remédio pra hemorróida. Aí vovó fala, bem alto: Olha Vera, compra esse! Tu tem esse problema né? Mas compra dois, um tu usa na boca e outro no cu.

– UAHHAUHAUAHUAHUHAUHUAHUAHUHUAHUAHUAHUAHUAHUAHUAHUHAUA

– Vou colocar isso no blog.

(post de 2009)

*

Fique pra você, moça

Tô dizendo. Ímã de pedintes. Ímã de pedintes.

E o que mais me assusta foi o pedido que ouvi hoje. Por que negar dinheiro, comida ou brincos é até fácil, mas quando vem alguém na porta da tua casa e fala o que eu ouvi hoje, a coisa fica realmente estranha.

– moça, a senhora (?) pode me ajudar?
– humm…
– olhe moça, a senhora quer ficar com dois meninos gêmeos não? Minha irmã teve eles faz cinco dias, e não tem condições de criar. Os meninos tão tomando garapa moça! Garapa! É uma situação triste! A senhora não quer ficar com eles dois não?
– leva pro conselho tutelar.
– eu já levei moça, mas eles tão aceitando mais não.
– por quê?
– sei não moça, só não aceitam.
– umm… Mas quero não.
– a senhora tem alguma coisa pra me dar? Um pacote de leite?
– tem não. (haha eu negarei até a morte)
– então pode me dar um copo d’água?
(…)
– tem uma bolsinha pra eu colocar o meu dinheiro? (dinheiro. é issaê colegas.)
– uma sacola plástica? (haha eu entendi que ela queria uma BOLSA, mas eu não ia dar né saahsuhau)
– não, uma bolsinha mesmo, uma ajeitadinha.
– tem não.

E ela partiu pra casa da vizinha. Com o mesmo papo. Com a mesma expressão e a mesma entonação da voz. Se aquela mulher queria dar mesmo crianças, ela é uma louca e no mínimo chantagista. Tenho minha teoria: acho que, se ela desse as crianças, depois de um tempo ia querer pegar de volta e chantagear quem ficasse. Ou ia pedir dinheiro pra entregar os pirralhos, sei lá. Picareta master, heim.

*

Categorias