Posts antigos >

#26 – Tutorial de como não ser rica gastando dinheiro com comida

Oi meninas! No post de hoje eu vou ensinar vocês a gastar dinheiro desnecessariamente com comida em 3 rápidas dicas, e por consequência não investir nos seus planos à longo prazo. Vamos nessa!!

1. Não tenha compromissos financeiros com financiamento de casa, carro, filhos ou derivados
Sabe como é, né. Quanto menos compromissos financeiros você tiver, mais vezes você vai poder ir comer aquele pavê gourmet no novo point que abriu na sua cidade.

2. Tenha preguiça de cozinhar
Essa é fácil! Quem gosta de passar horas por dia na cozinha, organizado marmita e lavando panela? Nem a Ana Maria, já que ela põe as coisas no forninho e tudo sai magicamente pronto. Ao invés de cozinhar receitas low-carb, vá comer um burgão com maionese e batata frita.

3. Namore
Namorar é bom demais, né gente!!!!! Ainda mais quando o seu amad@ é um food lover que nem você. Aproveite aquele momento a dois pra sair de Uber e comer uma pizza bem gostosa. Afinal de contas, quem ama engorda junto.

Gostaram das dicas? Testem e me digam como foi a experiência de vocês!
BeIjInHoS dE lUz!

*Este post foi patrocinado pela minha sofrida conta bancária

 

*

#25 – Sobre as pessoas que eu amo no Twitter

Me peguei pensando na vida, buscando o sentido do viver, e me deparei com o Twitter. Ainda não entendo como eu passei tanto tempo longe desta maravilhosa rede social e suas figuras. Eu gosto de seguir gente de verdade, amigos e tal. E, tipo, todo mundo que eu tenho no Twitter eu tenho no Facebook, só que no twt as pessoas são loucas do cu.

Eu amo os tweets de metrô da Carol (@carolchang), que praticamente mora dentro Twitter, né. Tão pensando que ela mora em São Paulo? Tudo mentira, meus amores. Carol ta indexada dentro do arquivo index.html do Twitter. Lembro lá dos tempos do Plurk (r.i.p) que as mensagens vinham a cada 0.325 segundos hahaha. AMIGA, TUITA PRA SEMPRE PFV!

As putarias random da Mari (@KilaKoning) são hilárias. E eu amo que Mari da heart nos meus tweets <3 Lya (@lavaland) é a maior retuiteira de memes da face da terra. Por fora bela, recatada e do design. Por dentro um gif animado.

Meu amigo Jailton baiacu (@mynameisntjonas) tem um cérebro que só a ciência um dia poderá entender, com muito empenho e estudo. São as piadinhas que me fazem agradecer a deus pela internet existir.

Minha amigarrrrr Bella linda (@eitabella) é quem me mantém atualizada com a vida no Recife, através de seus tuites mais maravilhosos do mundo.

Agora vá lá e me siga no arromba @indecisa que eu to mandando, oxe!

*

#24 – First world bizarrices

Como eu não sou lá flor que se cheire, este post é pra dar balancear com o de ontem, que falou sobre umas mordomias bestas que eu tenho nessa minha vida na holanda. Vamos ao momento reclamation.

1. As pessoas não fazem fila pra nada e não respeitam a ordem de QUEM ESTÁ NA FRENTE. Sabe aquela coisa de cada um por si e deus por todos? Então. Na minha primeira semana aqui eu fui pra uma feira e bugigangas e tinha que comprar o ingresso. Minha gente, a ~fila~ formada pelos holandeses de 200m de altura parecia aqueles campos de batalha, onde todos precisam correr pra se salvar do bombardeio. No meu Brasil, se alguém fura a fila já leva logo um sacode e ouve grito desaforado do tipo “Volte pro fim da fila, seu folgado!”.

2. Você ta doente e vai no médico. Agenda a sua consulta, chega na hora marcada, o médico vem lhe receber na recepção da clínica com um sorriso no rosto e um aperto de mão. Meu Deus, que coisa de primeiro mundo! Daí você explica que está morrendo por dentro, que um gremlin está a ponto de sair de dentro de suas entranhas.

O médico ouve pacientemente enquanto digita no computador… No fim da consulta, ele lhe receita o que todos os médicos na holanda receitam: PARACETAMOL. Velho, vai tomar no cuuuuuuuu!!! Não precisa estudar medicina por 10 anos pra tar receitando paracetamol pra ninguém. Os médicos daqui não passam exame, a não ser que você exija, não passam antibiótico, e ás vezes nem tocam em você. Consulta médica tem tempo máximo de duração (geralmente, 10min) e se você quiser discutir algo mais aprofundado, tem que avisar com antecedência. Eu hoje em dia até evito ir no clínico geral (pq aqui não se pode ir direito no especialista sem indicação do clínico). Pra tomar paracetamol e me curar, eu vou no mercado e pronto. Então deem valor aos seus médicos brasileiros que sempre perguntam como ta a mãe, o papagaio, que pedem exame de sangue, de urina, de alma… Porque aqui o povo é pão duro e não fazem nada disso.

3. Essa não é culpa dos holandeses, mas da Holanda: como aqui quase tudo que se come vem de fora, tipo as frutas e tal, a diferença de sabores é extrema. O açúcar não é doce, o sal não é salgado, a banana não tem gosto de banana, a manga parece um pedaço de plástico, NÃO TEM PÃO FRANCÊS!!!!!!!!! Eu tento me adaptar do jeito que dá, mas as vezes é difícil não achar nem mamão papaya pra comer, por motivos de no hay. Apenas no hay. De uns dias pra cá me bateu um desejo feroz de comer goiaba, e até postei no grupo do facebook de brasileiros em amsterdam. Ainda aguardando recomendações.

4. As pessoas não costumam comer prato quente no almoço, e as vezes nem mesmo no jantar. Sabe quando você vai pra almoçar com seus amigos de trabalho pra ir no PF, ou então aquele buffet maravilhoso com feijoada na sexta-feira? Aqui não existe isso. Primeiro que só se tem 30min de almoço no trabalho – oi??? -, e segundo que holandês come pão , pepino e alface praticamente todo dia. Tem gente que até traz ovo cozido (UM MÍSERO OVO HAHAHAH) pra comer com o pão seco. Pão com manteiga e granulado de chocolate. GRANULADO, AQUELE QUE A GENTE USA PRA COBRIR O BRIGADEIRO DE FESTA!!!!! Botam um iogurte do lado, ás vezes uma sopinha… e bebem LEITE DE VACA. HAHAHA Isso é almoço de gente? Pois se a minha mãe visse isso, ia dar uma voadora na cara desse povo pra eles aprenderem a comer direito.

5. Ainda sobre refeições, eu nunca vi um povo pra gostar tanto de sopa. Tem sopa no brunch, sopa no almoço, sopa no jantar… Lá em casa a gente só toma sopa se 1. tiver doente ou 2. sobrar comida do almoço e acabar tudo no panelão da sopa.

6. Quando um ente da sua família, ou namorado, faz aniversário, as pessoas parabenizam você. Imagina entrar na casa da sua sogra no dia do aniversário dela, e todas as pessoas pra quem você diz oi falam “parabéns com a sua sogra!”. Hahahah É beeeeem estranho. Até mensagem no celular as pessoas enviam, parabenizando você pelo aniversário de um ente querido. Chega a ser um pouquinho fofo, vai.

*

#23 – First world mordomias

Ainda fico perplexa com a facilidade que é viver em um país rico. Eu não venho de família classe média, e lá em casa a gente até que tinha mordomia, mas nunca luxo. Talvez o choque não seja tão grande pra outras pessoas, mas vivendo aqui na Holanda eu percebo que certas coisas são bem diferentes do Brasil. Vamos aos exemplos.

  • No supermercado, eu compro a carne já cortada e a salada já pronta, no saquinho. As batatas já vem descascadas e cozidas.
  • Não tem fila pra quase nada. Tudo funciona na base do afspraak, o famoso “agendamento”. Na hora marcada, você vai no medico e tem 10 min de consulta. No banco, lhe atendem exatamente no minuto agendado. É muita mordomia.
  • Todo mundo tem um cadastro único, tipo cpf, junto ao governo, e tudo é resolvido online. Todos os órgãos do governo, incluindo o de saúde, são conectamos por um cadastro apenas. Não existe isso de ter que ir em prédio público pra atualizar dados.
  • Ter plano de saúde é obrigatório e você precisa pagar uma taxa mensal. Se seu salário for baixo, o governo paga até 70% do valor de volta na sua conta. E seus gastos com médico, exames etc só precisam ser pagos até 380 euros. Depois disso o governo paga tudo. Eu fiquei internada no hospital por 3 dias e a conta deu mais de 2.000 euros. Só precisei pagar 60.
  • Estudantes viajam por toda a Holanda de graça usando transporte público. No fim semana a tarifa tem desconto.
  • Eu não ando de ônibus ou transporte público em Amsterdam. Chego em qualquer lugar da cidade em até no máximo 15 min de bicicleta.
  • A cidade é limpa todo dia, constantemente.
  • A cidade é conectada. Eu sei exatamente quando o trem vai chegar na estação e posso planejar minha viagem sem problemas. Se tem algum desvio ou manutenção, tudo é avisado e publicado online/no app do transporte público.
  • Todo mundo fala inglês. A avó do meu namorado, que tem lá seus 80 anos, fala inglês perfeitamente comigo.
  • Já falei que as batatas são vendidas descascadas?

*

Categorias